Húbris e Nêmesis

06/09/2016 - 17:55h


   "Subirei mais alto do que a nuvem mais alta e serei como o Altíssimo" (Isaías 14:14)


   Húbris e Nêmesis vêm do grego antigo. Húbris quer dizer arrogância resultante do orgulho excessivo. A pessoa avassalada por Húbris geralmente faz um juízo exagerado de seus próprios limites e perde o contato com a realidade: “Olhem para mim e vejam como eu posso fazer tudo melhor; vejam como posso cometer qualquer ilícito, desrespeitar a lei dos homens, abusar das leis divinas e não ser punido”.

   Nêmesis significa indignação ou castigo e representa a força capaz de derrotar toda Húbris.

   É também chamada a "inevitável".

   Segundo a concepção dos antigos gregos, tudo o que tende a subverter a ordem do mundo, a pôr em perigo o equilíbrio universal, expõe-se à represália dos deuses. Tudo o que se eleva acima da sua condição, seja o bem ou o mal, tem de ser punido. Nêmesis, portanto, pode ser entendida também como justiça compensatória, a idéia de que o mundo deve obedecer a uma lei de harmonia, segundo a qual o mal é compensado pelo bem em igual medida e vice-versa.

   São vários os casos de pessoas punidas por Nêmesis.

   Na mitologia, temos Ícaro, conhecido por tentar escapar da ilha de Creta voando. Seu pai, Dédalo, usando penas de gaivota e cera do mel de abelhas, construiu-lhe um par de asas. Antes, porém, alertou o filho para o perigo de voar perto do sol, já que seu calor poderia derreter a cera; nem muito perto das ondas do mar, pois a água deixaria as asas mais pesadas. Mas Ícaro não deu atenção aos conselhos do pai. Dominado por Húbris, voou acima do topo das nuvens, o mais próximo do sol, e acabou despencando no mar violento.

   Na História, temos o poderoso rei Creso da Lídia, que decidiu atacar o império de Ciro II, em 550 a.C. Para garantir o êxito da empreitada, o rei consultou o célebre oráculo de Delfos, recebendo a resposta de que se realizasse o ataque destruiria um grande império. Avassalado por Húbris, e imaginando que os deuses estavam do seu lado, Creso invadiu a Pérsia e foi derrotado, cumprindo-se a profecia do oráculo com a destruição de um grande império, o do rei Creso.

   Nêmesis foi implacável com Adolf Hitler, que defendia a superioridade da raça Ariana e seu Reich de Mil Anos. Hitler afirmava que o povo alemão era descendente de uma raça superior e por esta razão tinha o direito de dominar as raças ditas “inferiores”, tais como judeus, eslavos e negros.

   Nêmesis foi impiedosa com o empresário Eike Batista, cujo sonho era tornar-se o homem mais rico do mundo. Com o apoio de créditos bilionários de bancos estatais, em 2011 o valor de suas empresas chegou aos 30 bilhões de dólares. Em entrevista ao jornal Folha de São Paulo, em 2012, avassalado por Húbris, Eike lançou um desafio: “Em algum lugar, alguém vai ter de fazer uma estátua para mim”. Em 2013, o empresário viu sua fortuna despencar dos 30 bilhões para 10,6 bilhões, com prejuízo de 2 milhões de dólares por hora.

   Atualmente, Nêmesis vem derrotando Húbris condenando à prisão integrantes do Petrolão, nome dado a um gigantesco caso de corrupção, tendo como protagonistas diretores da Petrobrás, empresários e políticos membros do PP, Partido Progressista, do PMDB, Partido do Movimento Democrático Brasileiro e do PT, Partido dos Trabalhadores.

   Assim é o mundo dos homens. Húbris quer subir mais alto do que a nuvem mais alta e Nêmesis o traz de volta à terra.